Biografia
biography



Nasci em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.
Desde pequena ouvia a vitrola rodar os Doces Bárbaros e Chico Buarque...e eu gostava. Morando em Curitiba, lá pelo meus 11 anos ganhei 1/3 de um violão, dividido entre meu padrasto e minha mãe e nesse pacote havia um professor que vinha dar aulas em casa. Mal dava pra imaginar que aquele violão seria a minha passagem de ida pra música.

Pouco depois conheci um vocalista de uma banda de rock - guitarrista, cabelos compridos, blabla - e como boa pré-adolescente, me apaixonei como se não houvesse amanhã. Ele era também professor de violão (um combo) e lá fui eu ter aulas na oficina da relojoaria do pai dele...verdade é que ele não me deu nem as horas, mas acabei trocando aquela paixão toda pela de tocar.

Um dos meus primeiros momentos no palcos foi como vocalista de uma banda de rock progressivo "A Banda da Terra", num momento de influências fortíssimas dos Mutantes, Genesis, Yes, king Crimson, Focus, Led, Pink Floyd.

Depois disso, eu e Rogéria Holtz (cantautora curitibana) estreamos um show de "MPB lado B" num bar emblemático da cidade, o Trem Azul. Na nossa estréia quem tava na platéia? Luis Melodia! Se eu quase morri? Sim! Mas também comecei a achar que aquilo era um super bom presságio.

Fui estudar violão clássico na Escola de Música e Belas Artes e trabalhar em teatro como atriz, cantora e violonista.
Nessa época fiz minha primeira trilha pro espetáculo "No Balanço desse Trem" de Mario Schoemberger e Regina Bastos.



Pela peça infanto-juvenil A Cegonha Boa de Bico, fui indicada ao Troféu Gralha Azul, premiação do teatro paranaense na categoria Composição Musical.

Depois veio Pinha, Pinhão, Pinheiro de Enéas Lour, com temporada em Curitiba e turnê em mostras e festivais em Eldorado, San Pedro, Posadas, Andresito e Puerto Yguazú na Argentina.

Com o grupo de teatro de bonecos Filhos da Lua fiz turnê pelo interior do Paraná com o espetáculo Fandango, onde ministrava com eles workshops de composição pra professores da rede pública.

Com Paula Giannini (atriz, diretora e roteirista carioca) criamos a companhia de teatro Mandrágora e montamos o espetáculo E o Bichomem Como é que Será? de Luiz Rettamozzo, Paulo Vítola e Marinho Gallera, com direção de Hieronymus Parth, no SESI e Teatro Guaíra em Curitiba, Cine-teatro Presidente e Porto de Elis em Porto Alegre. Neste espetáculo atuei e fiz produção executiva, criação de cenário e figurino.

Fui assistente de cenografia na montagem oficial do Teatro Guaíra em A Vida de Galileu, encenada por Paulo Autran, com direção de Celso Nunes e cenografia de Gianni Ratto. Durante o mesmo ano lecionei violão no Centro Cultural Bento Mossurunga.

Em 91 no show Os Homens são todos iguais de Carlos Careqa cantei duas músicas inéditas junto com o Quarteto do Beco, uma delas de minha autoria. Era a primeira vez que mostrava música minha em um show.

De 84 a 94 fiz shows em teatros, festivais e bares de Curitiba, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Natal e João Pessoa com diversas formações musicais (guitarra, violino elétrico, trumpete, saxofone, percussão...) e repertórios de MPB, standards do pop e do jazz.

Em 95 voltei pra Porto Alegre e retomei meus shows de MPB. Aos poucos fui conhecendo o mercado,os músicos daqui e as produtoras de áudio onde comecei a gravar coro e solos pra campanhas publicitárias.
Em 98, montei a banda Os Waldos, repertório de Disco e Black Music que movimentou a cena porto-alegrense até 2002.

Dessa experiência com o mundo Pop, nascia em 2003 meu primeiro CD Abracadabra, lançado em Porto Alegre, Belo Horizonte e Curitiba. O show de lançamento em Belo Horizonte, no Teatro da Maçonaria, foi gravado pro programa Especial Rede Minas, reprisado durante o ano todo pela TV Rede Minas.

A convite da Electra Produções voltei a BH no projeto Domingo no Parque no Parque das Mangabeiras. Nesta edição, também participaram os compositores mineiros Sideral e Vander Lee.

Em 2004 fui indicada ao Prêmio Açorianos, nas categorias: Revelação e Intérprete Pop/Rock.

Em 2006, morando em Londres, meu CD teve matéria na Revista Real, com distribuição no Reino Unido, Suiça, Irlanda e Bélgica. Vendi discos pra lojas inglesas em Leicester Square e Camden Town e foi pra playlist da casa de shows Guanabara.

Desde a volta pro Brasil tenho feito muitos shows em Porto Alegre, São Paulo e interior do Rio Grande do Sul.

Participei também de alguns discos:
- CD Suíte Xangri-lá de Fausto Prado e Caetano Silveira, junto com Nelson Coelho de Castro, Gelson Oliveira e Marisa
   Rotenberg (2004).
- CD Prabaticum, Esplatifum, Brasimbolá de New e Luiz Mauro Vianna (2008).
- Coletânea de compositores no CD Música na Casa da Casa de Cultura Mario Quintana(2009)
- CD Rogéria Holtz Na Tocaia de Rogéria Holtz - Curitiba(2014)
- CD Singular e Plúrimo de Jerônimo Jardim (2015).



Outra coisa bem bacana que aconteceu foi montar o show Brasinaria, resultado de uma pesquisa sobre sambas dos anos 40 e 50 no Brasil. Estre trabalho se mantém na ativa, através de editais e shows independentes por Porto Alegre e interior.
Quer conhecer? Acesse este link Brasinaria



Durante o ano de 2015 me dediquei às gravações do novo disco Quintais do Mundo, pra lançar agora em 2016.

Além da música, abri espaço pra outras expressões artísticas. As oportunidades e curiosidade deram régua e compasso pra desenvolver outras habilidades.

Tenho formação acadêmica em Artes Plásticas, diversos cursos de artes gráficas e uma série de experiências também em televisão (na frente e atrás das câmeras).
Fui diretora de arte em agências de publicidade e até hoje trabalho com design. Pra conhecer um pouco disso, dá uma olhada neste link: Danny Calixto - Design